Cadwell Partners

destinos
Home > Notícias de interesse > Energia – É chegada a hora dos líderes de tempos da guerra?

Energia – É chegada a hora dos líderes de tempos da guerra?

Os preços do petróleo sofreram uma queda no segundo semestre de 2014, devido a uma combinação do aumento da oferta e redução da demanda. A tendência continuou ao longo deste ano, o que criou uma volatilidade significativa no mercado de petróleo, que provavelmente não diminuirá no curto prazo.

Um fenômeno semelhante ao que está ocorrendo atualmente no setor de óleo ocorreu no setor de gás natural há alguns anos, quando a tecnologia evoluiu para permitir a produção de gás natural utilizando depósitos anteriormente inacessíveis. Praticamente do dia para a noite, as preocupações dos membros do setor passaram de encontrar a oferta para atender à demanda para encontrar a demanda para atender à oferta. O aumento da oferta fez com que o preço do gás natural caísse significativamente, e as empresas vivenciaram um despertar abrupto, especialmente aquelas que estavam operando de forma ineficiente ou repousavam sobre seus louros na expectativa de que os preços elevados continuariam indefinidamente.

Após a oferta de gás se tornar abundante e o custo do recurso cair consideravelmente, muitas empresas mudaram seu foco para líquidos de petróleo ou gás natural. Além de terem preços maiores, essas formas de energia permitiam às empresas obter um retorno maior sobre o seu investimento. No entanto, o alívio que essas organizações encontraram no setor de petróleo durou pouco. Agora, os desenvolvimentos tecnológicos estão transformando o setor de petróleo de uma maneira similar à metamorfose que ocorreu com o gás natural – e, desta vez, não há outro recurso para o qual seja possível migrar.

Há um debate em andamento – esta é apenas uma desaceleração temporária, ou é um exemplo de tecnologia revolucionária que transformou outro setor indefinidamente? Embora alguns acreditem na primeira hipótese, muitos estão começando a pensar que o futuro do petróleo e gás não será regido pela demanda, mas pela oferta – e agora temos muita.

“É imperativo que os executivos resistam ao impulso de enterrar suas cabeças na areia”.

Evoluir ou morrer
Se você adere a este novo paradigma, agora é hora de agir. As empresas que se recusam a reconhecer esta mudança e não conseguem se adaptar às condições atuais ou colocar planos em prática para o risco de amanhã deixam o seu futuro à sua própria sorte. Para evitar possíveis destinos negativos que se abatem sobre suas organizações, é imperativo que os executivos resistam ao impulso de enterrar suas cabeças na areia. Afinal de contas, como diz o famoso ditado: “Não é o mais forte da espécie que sobrevive, nem o mais inteligente, mas o que melhor se adapta às mudanças”. Em vez disso, os líderes devem ampliar o seu raciocínio, aceitar a realidade atual e buscar oportunidades para ter sucesso nesta nova era.

“As pessoas que descobrem como fazer isso no setor da energia colherão os frutos, enquanto que aquelas que não fizerem isso podem nem ao menos sobreviver”, advertiu Les Gombik, Sócio-Gerente do escritório da Caldwell Partners de Calgary.

Em última análise, as empresas de energia norte-americanas precisam reconhecer que estão em desvantagem em comparação com empresas de outras áreas do mundo. Especificamente, conforme Gombik indicou, o custo de produção de petróleo no Oriente Médio pode ser de até um quinto do custo nos EUA, ou até mesmo um décimo do custo de alguns dos produtores de areias petrolíferas do Canadá. É desnecessário dizer que este fato tem tornado muitas bacias de energia norte-americanas menos competitivas, e algumas possivelmente até mesmo obsoletas.

A necessidade de liderança em tempos de guerra
Antes da evolução tecnológica revolucionária, que transformou totalmente o setor de petróleo e gás do Canadá, um estilo de gestão conhecido como liderança em tempos de paz foi predominante no setor. Os executivos que adotam esta abordagem priorizam o raciocínio de tranquilidade e de desenvolvimento da cultura para ajudar suas empresas a prosperarem, e muitos líderes de petróleo e gás que adotaram este caminho acabaram tendo um grande sucesso antes da mudança do clima econômico.

Durante os tempos de paz, os líderes geralmente direcionam os esforços de suas empresas para a consecução de objetivos, como avançar no setor, melhorar as métricas de desempenho, capacitar os funcionários, facilitar a inovação, ampliar o mercado e realizações similares. Durante os tempos de guerra – ou seja, em períodos de ameaça e revolta – os membros dos níveis executivos mudam seu foco.

“Os líderes em tempos de paz utilizam técnicas para estimular a criatividade e contribuição baseadas na criatividade em um conjunto diversificado de objetivos possíveis”, explicou Ben Horowitz, da firma de capital de risco Andreessen Horowitz, em uma publicação no blog definindo o tema em 2011. “Por outro lado, em tempos de guerra, a empresa normalmente tem uma única bala na agulha e deve, a todo custo, atingir o alvo. A sobrevivência da empresa em tempos de guerra depende do cumprimento e alinhamento estritos no que se refere à missão”.

Nestes períodos turbulentos, adotar o estilo de liderança em tempos de guerra pode ser a única forma de várias empresas do setor de petróleo e gás terem esperança de sobreviver – especialmente aquelas com balanços ruins.

Em termos do setor de petróleo e gás, o paradigma dos tempos de paz definitivamente acabou, pelo menos por enquanto. Agora as empresas precisam se perguntar se têm uma liderança de tempos de guerra em vigor. Se a resposta for não, elas devem buscar líderes de tempos da guerra internamente ou procurá-los externamente e trazê-los para a empresa.

“Empresas como a Kodak, Borders e Blockbuster perceberam a evolução acontecendo nos seus setores, mas não fizeram nada a respeito, pois consideram que isso era apenas uma fase”, observou Gombik. “Desnecessário dizer que esta fase não passou – a tecnologia mudou seus setores, e aí já era tarde demais. A mesma coisa está acontecendo no setor de energia. Muitas pessoas dirão que o que está acontecendo é apenas uma outra fase, visto que o setor de energia já passou por muitos altos e baixos anteriormente – é a marca do setor e ele sempre se recupera, mas isso acontecerá desta vez? Muitos não têm certeza, e se você fizer a aposta errada, poderá ser tarde demais”.

Características de um líder em tempos de guerra
Empresas ansiosas para recorrer à liderança em tempos de guerra precisam saber que habilidades e atributos devem procurar antes de iniciarem a busca de líderes diferentes. Conforme listado por Horowitz, os mesmos incluem:

  • Uma disposição de quebrar o protocolo quando isso for considerado necessário.
  • Um foco na criação e manutenção de processos de recrutamento de qualidade, mas também no downsizing.
  • Um entendimento da necessidade de deixar o que está acontecendo no setor definir a cultura corporativa.
  • Um reconhecimento da ideia de que tomar ações de alto risco e alta recompensa algumas vezes é a melhor maneira de avançar.
  • Uma desconfiança saudável dos concorrentes.
  • Um desejo de conquistar o mercado, e não simplesmente expandi-lo.
  • Uma rigidez inquebrável e intolerância completa a desvios quando se trata de seguir um plano.
  • Treinamento de funcionários para sobreviver, em vez de trabalhar para desenvolver suas carreiras, aumentar os seus índices de satisfação, etc.

“O setor de petróleo e gás precisa de visionários de tempos de guerra.”

Em um momento de tanta incerteza, uma coisa é certa: O setor de petróleo e gás precisa de visionários de tempos de guerra que podem inspirar os membros da força de trabalho e adotar um estilo de liderança de “comando e controle” para convocar os funcionários. Os líderes de empresas do setor precisam esquivar-se dos obstáculos e se esforçar para identificar oportunidades de inovar se desejam que suas organizações sobrevivam e prosperem. Esta certamente não será a melhor abordagem para todas as empresas de energia, mas, para algumas, pode ser a única maneira de fazê-lo.

Para obter mais insights, siga a Caldwell Partners no Twitter e LinkedIn.

Sobre a Caldwell Partners
Caldwell Partners é uma empresa internacional líder de serviços de busca de executivos, fundada há 40 anos. Como uma das empresas mais confiáveis do mundo de serviços de executive search, a empresa tem uma reputação impecável construída com o sucesso obtido em buscas de executivos de alto nível e Conselheiros de Administração. Com escritórios e sócios no Canadá, Estados Unidos, América Latina e Europa, a empresa orgulha-se de prestar serviços e compartilhar experiências inigualáveis com seus clientes. As ações da Caldwell Partners estão listadas na Bolsa de Valores de Toronto (The Toronto Stock Exchange – TSX: CWL). Visite nosso site: www.caldwellpartners.com para obter in informações adicionais.Adicione o permalink à sua lista de favoritos. – Veja mais em: http://caldwellpartners.com/energy-is-it-time-for-wartime-leaders/#sthash.ymdmalHa.dpuf